Há vagas na Confraria da Cachaça do Barão, de Ivan Zurita

Boa notícia aos apaixonados pelo mais brasileiro dos destilados. Há vagas para entrar para a Confraria da Cachaça do Barão, do empresário Ivan Zurita, da AgroZ, forte em cana de açúcar e genética bovina.

O passe para fazer parte dessa seleta confraria custa R$ 20 mil e dá direito a uma barrica de 180 litros, o equivalente a 250 garrafas, da Cachaça do Barão. A versão em questão é a Reserva Especial, envelhecida por cinco anos em carvalho europeu.

ivan zurita
Cachaça do Barão, destilado produzido na Fazenda Santa Cruz, de Ivan Zurita

A Cachaça do Barão é produzida na Fazenda Santa Cruz, em Araras (SP), de propriedade do conhecido ex-presidente da Nestlé. Ela foi criada há cerca de 10 anos e acaba de ser relançada de olho nos bares, hotéis e restaurantes premium.

A aguardente repousa por, pelo menos, três anos, em barris de carvalho europeu, amendoim ou jequitibá-rosa. Futuramente, a marca deve vender destilados envelhecidos por 12 anos. Toda cana usada na produção vem da própria fazenda, que elabora cerca de 20 mil litros de destilado por ano.

Ivan Zurita e a seleta confraria que tem, dentre os membros, celebridades e grandes empresários

Hoje, as garrafas da Cachaça do Barão custam de R$ 99 a R$ 180, dependendo do tempo de envelhecimento. Sua produção acontece a todo vapor. A meta é atingir a capacidade produtiva de 250 mil litros e faturar R$ 15 milhões com a Cachaça do Barão até 2020.

Salão nobre, com a cachaça Reserva Especial dos membros da confraria

Quem adquirir terá seu nome gravado na barrica, hoje armazenada em uma espécie de “salão nobre” da destilaria instalada dentro da fazenda. PRAZERICES visitou recentemente a Fazenda Santa Cruz, em uma recepção oferecida por Ivan Zurita (chairman) e seu genro Leonardo Queiroz (CEO do negócio).

Na destilaria da Cachaça do Barão, em Araras (SP)

Além de conhecer a história da Cachaça do Barão e acompanhar parte de seu processo produtivo, como visitante encontrei barricas pertencentes à apresentadora Hebe Camargo (hoje de seu sobrinho), ao cantor Roberto Carlos, ao ex-jogador Ronaldo Fenômeno, ao publicitário Washington Olivetto, dentre outros.

Zurita conta que os membros da confraria podem degustar a cachaça na fazenda, ao lado de um grupo pequeno de amigos e familiares liberados para visitar e almoçar na propriedade privada. Ou então receber garrafas do destilado na própria residência.

Barrica do Rei Roberto Carlos, membro da Confraria da Cachaça do Barão

O próximo passo da dupla Zurita/Queiroz é lançar outra marca de cachaça até dezembro, voltada especificamente para ser usada como base de drinks, com preço entre R$ 60 e R$ 70 a garrafa. O nome ainda está sendo estudado.

ivan zurita
Cachaça com vista para o lago em forma de ferradura da fazenda de Ivan Zurita

A Fazenda Santa Cruz tem tudo para virar um pólo de fabricação de destilados. Queiroz retornou recentemente de Cuba, onde foi estudar a produção de rum. A marca brasileira de gim premium Draco agora também é produzida dentro dos domínios da AgroZ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas