Você precisa ir à Vila Zelina comer no Santa Coxinha

Aviso: antes de falar da visita ao Santa Coxinha, preciso explicar que sou um caçador de coxinhas*. Como coxinhas em todos os lugares que vou – rodoviária, aeroporto, padaria, delicatessen. Já experimentei dezenas, para não falar centenas, e cheguei a viajar para Sorocaba (SP) só para experimentar uma famosa de lá (relato que poderei compartilhar em um próximo post). Sou daqueles que defendem que coxinha, COXINHA mesmo, é só aquela de frango ou frango com catupiry. Todo o resto é invenção ou algum salgado disfarçado. Isso posto, não posso reclamar da visita ao Santa Coxinha, bar e restaurante especializado no salgado com mais 30 anos de história. Fritas na hora e servidas sempre quentinhas, as coxinhas de lá são deliciosas.

Santa Coxinha
São mais de 60 tipos de coxinhas todas fritas na hora

Localizado em frente a uma simpática praça, com cara de interior, no bairro Vila Zelina (zona leste da capital paulista, entre as Vilas Prudente e Alpina), o Santa Coxinha possui no cardápio mais de 60 tipos de “coxinhas” – tem de feijoada (não!), de pato (ótima), de pernil, camarão, picadinho(?!), strogonoff, berinjela, espinafre, salmão, bacalhau… A lista é imensa, o que vai exigir dos mais ousados dezenas de visitas para experimentar todas.

Santa Coxinha
Massa feita de batata e recheio farto

As coxinhas (de verdade) da casa são feitas com uma deliciosa massa de batata e generosamente recheadas. No tempero do recheio, destaca-se o cominho, mas nada que domine exageradamente o sabor. Há 4 opcões na casa: as tradicionais de frango (R$ 5,40) e frango com catupiry (R$ 5,90), Suprema (R$ 6,90, com um segredo na massa, levemente mais crocante e a melhor dentre as provadas por Prazerices) e a Coxinha Assada (R$ 7,90).

Santa Coxinha
Diferentes tipos de recheios e também de apresentações
Santa Coxinha
Massa de batata e recheio para não reclamar

RECHEIOS ALTERNATIVOS

No campo das “coxinhas” com recheios alternativos, destacam-se a de pato (R$ 7,90), servida com molho de laranja à parte e a de camarão (R$ 8,90), recheada com um creme delicioso e mais de um camarão médio. Realmente saborosa. Já a de feijoada (R$ 6,90) é uma curiosidade a ser evitada. O recheio com feijões e bastante carne seca não combina com a pesada massa de mandioca. Feita com a mesma massa, a “coxinha” de pernil (R$ 6,90) vem com recheio muito bem temperado e equilibrado. Agradou.

Vale a pena experimentar a acertada coxinha de pato com molho de laranja

ALÉM DAS… COXINHAS

Mas nem só de coxinhas vive o Santa Coxinha – a casa possui um extenso cardápio de pratos, sanduíches tradicionais e outros salgados, todos preparados com esmero pela grande equipe de cozinha. O movimento de saída de pratos e hambúrgueres em um sábado no início da tarde, aliás, mostra que a casa atrai muita gente para almoçar e aproveitar opções com o Sua Santidade, o Hambúrguer (foto), um hambúrguer de 180 gramas feito a partir de um blend de carnes servido com queijo, uma porção generosa de cebola caramelizada e maionese da casa (R$ 24,90). Todos os hambúrgueres são feitos com carne angus black. Os pães são da Levain Escola de Panificação, do badalado Rogério Shimura.

HISTÓRIA

Santa Coxinha
Santa Coxinha opera em frente à Praça Lituânia, na Vila Zelina, em SP

Nascido em um quiosque dentro de uma loja de materiais de construção em 1982, o Santa Coxinha mudou-se para uma loja de conveniências em 1997 e desde 2011 ocupa a esquina em frente à Praça Lituânia. Com dois andares e uma decoração que lembra muito tradicionais lanchonetes de american dinner, o Santa Coxinha serve em média 500 coxinhas em um sábado – todas moldadas à mão, a partir do pedido dos clientes, e fritas na hora em gordura de palma, que segundo a casa possui 0% de gordura ​​trans.

COXINHA DE BRIGADEIRO OU DE LINDT?

Brigaxinha, a versão de brigadeiro

Para completar o ar bucólico conferido pela praça e pelas pessoas descansando à sombra em bancos de madeira em frente ao restaurante, o Santa Coxinha possui uma máquina de sorvetes, que faz uso de xaropes e groselha, logo na entrada da casa. A sobremesa (justamente) mais pedida, no entanto, é a coxinha de chocolate Lindt, embora a casa também tenha a brigaxinha (de brigadeiro). Já a feita com chocolate suíço Lindt é pequena, envolta por uma mistura de canela e açúcar e recheada com bastante chocolate, chega quentinha e explode na boca. Uma delícia.

*Alexandre Scaglia é um apaixonado pela popular iguaria brasileira e o testador oficial de coxinhas do Prazerices. 

————————————————————————-

SANTA COXINHA

Praça República Lituana, 73 – Vila Zelina – São Paulo

Tel.: (11) 2345 4249

Segunda-feira a sábado das 10h às 22h30

Domingos e feriados, fechado

Aceita todos cartões e tickets

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas